Contos e (En)cantos

Preparação para a morte

Manuel Bandeira*

A vida é um milagre.
Cada flor,
Com sua forma, sua cor, seu aroma,
Cada flor é um milagre.
Cada pássaro,
Com sua plumagem, seu voo, seu canto,
Cada pássaro é um milagre
O espaço, infinito,
O espaço é um milagre.
A memória é um milagre.
A consciência é um milagre.
Tudo é milagre.
Tudo, menos a morte.
Bendita a morte, que é o fim de todos os milagres

*Poeta, crítico literário e de arte, professor de literatura e tradutor brasileiro, nasceu em Recife, em 19 de abril de 1886. Participou da Semana de Arte Moderna de 1922 com o poema “Os Sapos” que satiriza os princípios do parnasianismo. Em 1940 foi eleito para a academia de Letras, ocupando a cadeira no 24. Morreu em 13 de outubro de 1968, no Rio de Janeiro.

Pergunta para refletir sobre o texto: onde está o seu milagre?

Um comentário em “Contos e (En)cantos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: