Contos e (En)cantos

Quem tem um amigo tem tudo
(https://www.youtube.com/watch?v=qIB96rHpgPc)

Emicida*

Quem tem um amigo tem tudo
Se o poço devorar, ele busca no fundo
É tão dez que junto todo stress é miúdo
É um ponto pra escorar quando foi absurdo

Quem tem um amigo tem tudo
Se a bala come, mano, ele se põe de escudo
Pronto pro que vier mesmo a qualquer segundo
É um ombro pra chorar depois do fim do mundo

Ser mano igual Gil e Caetano
Nesse mundo louco é pra poucos, tanto sufoco insano encontrei
Voltar pra esse plano e vamos estar voltando
É tipo Rococó, Barroco em que Aleijadinho era rei

É presente dos deuses, rimos quantas vezes?
Como em catequeses, logo perguntei
Pra Oxalá e pra Nossa Senhora
Em que altura você mora agora, um dia ali visitarei

Ser mano igual Gil e Caetano
Nesse mundo louco é pra poucos, tanto sufoco insano encontrei
Voltar pra esse plano e vamos estar voltando
É tipo um Rococó, Barroco em que Aleijadinho era rei

É presente dos deuses, rimos quantas vezes
Como em catequeses, logo perguntei
Pra Oxalá e pra Nossa Senhora
Em que altura você mora agora, um dia ali visitarei

Tantas idas e vindas cantam histórias lindas
Samba que toca ainda, camba desde Cabinga
Classe aruanda brinda, plantas, água e moringa
Sabe, imbanda não finda, acampa no colo da dinda

E volta como o Sol Cheio de luz e inspiração rompendo a escuridão
Quem divide o que tem é que vive pra sempre
E a gente humildemente lembra no refrão
Assim, ó

Quem tem um amigo tem tudo
Se o poço devorar, ele busca no fundo
É tão dez que junto todo stress é miúdo
É um ponto pra escorar quando foi absurdo

Quem tem um amigo tem tudo
Se a bala come, mano, ele se põe de escudo
Pronto pro que vier mesmo a qualquer segundo
É um ombro pra chorar depois do fim do mundo

O amigo é um mago do meigo abraço
É mega afago, abrigo em laço
Oásis nas piores fases quando some o chão e as bases
Quando tudo vai pro espaço

O amigo é um mago do meigo abraço
É mega afago, abrigo em laço
Oásis nas piores fases quando some o chão e as bases
Quando tudo vai pro espaço

Quem tem um amigo tem tudo
Quem tem um amigo tem tudo
Quem tem um amigo tem tudo
Quem tem um amigo tem tudo
Quem tem um amigo tem tudo
Quem tem um amigo tem tudo
Quem tem um amigo tem tudo
Quem tem (oh, sorte)

Quem tem um amigo tem tudo
Se o poço devorar, ele busca no fundo
É tão dez que junto todo stress é miúdo
É um ponto pra escorar quando foi absurdo

Quem tem um amigo tem tudo
Se a bala come, mano, ele se põe de escudo
Pronto pro que vier mesmo a qualquer segundo
É um ombro pra chorar depois do fim do mundo

A amizade
Nem mesmo a força do tempo irá destruir
Somos verdade
Nem mesmo esse samba de amor pode nos resumir

Quero chorar o teu choro
Quero sorrir o seu sorriso
Valeu, por você existir
Amigo

Quero chorar o teu choro
Quero sorrir o seu sorriso
Valeu, por você existir
Amigo

* Emicida, a fusão das palavras MC e homicida, é o nome artístico de Leandro Roque de Oliveira, um rapper, cantor, produtor musical e apresentador brasileiro. Nascido em 17 de agosto de 1985, é conhecido por suas rimas de improviso e considerado uma das maiores revelações do hip hop do Brasil da década de 2000.

Pergunta para refletir sobre o texto: O que pode a amizade?

3 comentários em “Contos e (En)cantos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: