Contos e (En)cantos

Os pensamentos vagos e frágeis ganham cabeça, mãos e patas
O que antes eu temia ser utopia hoje nem concretizo mais em palavras.
Aliás, de palavra só sinto o gosto da saudade
Que tem gosto ácido da Itaipava
O doce do pérgola
E tem cheiro de maresia
E o tato da mão dela na minha
Sentindo no pé a areia fina e fria
Que mesmo estando um calor desgraçado
Me fez beber um quinta do morgado.
Mas tudo mudou
Antes era alegria a anarquia de tá liso e ficar amoitado.
Mas tudo mudou
E vai mudar
E todo o mundo
Será o mudado

Sem título – João Felipe*

*Sou nascido, criado, abençoado e maltratado na cidade do Cabo de Santo Agostinho, tenho vinte anos e um Black Power. A arte é um dos pilares mais importantes da minha vida. Na música, meus horizontes vão de Racionais’mcs à Maria Bethânia e cruzam uma vertical que vai de Bob Marley ao brega funk.Também sou pintura rupestre, pixe na Agamenon e 11 de fev. de 1922.Calouro em Letras/Port. pela UFPE, pinto, toco e escrevo. Considero-me vivo para isso e preciso disso para estar vivo. Sou um eterno aprendiz.

Pergunta para refletir sobre o texto: Qual é o sabor da sua saudade?

Um comentário em “Contos e (En)cantos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: